ESTUDOS BIBLICOS







Web Radio Gospel Da Covilha - ((( Portugal))) Sua Amiga De Todos As Horas



segunda-feira, novembro 12, 2012

A Graça e o Perdão de Deus


É comum para os crentes continuarem vivendo em pecado conquanto sempre orem pedindo perdão a Deus.
Domingo após domingo comparecem às reuniões para pedir perdão a Deus pelos pecados que tem cometido para continuarem praticando-os.
Como eu sei que é assim? Em meus 35 anos de experiência como pregador e professor da Palavra de Deus sempre observei que milhares de crentes continuam vivendo o mesmo tipo de vida, não apresentam nenhum crescimento e continuam lutando contra os mesmos pecados sem no entanto mostrarem sinal de que os abandonaram.
As pessoas oram sempre pedindo perdão para continuarem sendo as mesmas pessoas e fazendo as mesmas coisas.
Deus é rico em perdoar. Ele é misericordioso e compassivo. E isto Ele demonstrou completamente se uma vez por todas quando nos perdoou pelo sacrifício de Jesus.
Jesus Cristo morreu no lugar de cada ser humano que existiu e ainda existirá em toda a Terra. Por quaisquer pecados de todos os homens de toda a história. Pelos pecados de nosso passado e pelos pecados que ainda serão cometidos. Esta é a Graça extravagante de nosso Salvador!
Éramos filhos da ira, mortos em delitos e pecados porque nascemos assim. 
Se tendo nascido assim e em toda a nossa vida não tivéssemos cometido nenhum pecado ou praticado qualquer delito, ainda assim morreríamos.
A morte passou a todos os homens. 
"Mas Deus prova o Seu amor para conosco em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. 
Mas não é assim o dom gratuito como a ofensa; porque, se, pela ofensa de um, morreram muitos, muito mais a graça de Deus e o dom pela graça, que é de um só homem, Jesus Cristo, abundou sobre muitos.  
E não foi assim o dom como a ofensa, por um só que pecou; porque o juízo veio de uma só ofensa, na verdade, para condenação, mas o dom gratuito veio de muitas ofensas para justificação.  
Porque, se, pela ofensa de um só, a morte reinou por esse, muito mais os que recebem a abundância da graça e do dom da justiça reinarão em vida por um só, Jesus Cristo.  
Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida. 
Porque, como, pela desobediência de um só homem, muitos foram feitos pecadores, assim, pela obediência de um, muitos serão feitos justos."
(Romanos 5:8, 15-19 ARC)
Deus estava em Cristo na Cruz.
Jesus se fez pecado por nós para nos reconciliar com Deus e morreu pelos nossos pecados para nos dar perdão.
"Deus em Cristo estava reconciliando consigo o mundo, não levando em conta os pecados dos homens, e nos confiou a mensagem da reconciliação. 
Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus."
(2 Coríntios 5:19 NVI, 21 ARC)

A proclamação do perdão dos pecados é uma grande nova de salvação. 
Na Cruz toda a humanidade foi perdoada. 
Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho. 
"Ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos pecados de todo o mundo." (1 João 2:2 NVI)
Deus já nos perdoou. mesmo antes de que tenhamos nos arrependido.
Esta e a mensagem da Nova Aliança: a proclamação incondicional do perdão dos pecados.
"E que em Seu Nome seria pregado o arrependimento para perdão de pecados a todas as nações, começando por Jerusalém." (Lucas 24:47 NVI)
“Portanto, meus irmãos, quero que saibam que mediante Jesus lhes é proclamado o perdão dos pecados." (Atos 13:38 NVI)
Jesus não rogou ao Pai por aqueles que estavam zombando e O crucificando: "Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem?"
Não está claro que é somente pela Graça que fomos e estamos sendo salvos?
Não foi o próprio Deus que na Cruz derramou o Seu sangue para comprar A Sua Igreja?
"Cuidem de vocês mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo os colocou como bispos, para pastorearem a igreja de Deus, que Ele comprou com o seu próprio sangue."(Atos 20:28 NVI)
Esta compra foi feita de tal modo que o credor jamais tivesse condições legais de reivindicar um dia qualquer direto de posse ou de uso sobre o resgatado. 

A Nova Alianca foi lavrada nos Céus com o Sangue do Cordeiro Eterno de Deus.
"De fato, segundo a Lei, quase todas as coisas são purificadas com sangue, e sem derramamento de sangue não há perdão."
"Pois Cristo não entrou em santuário feito por homens, uma simples representação do verdadeiro; 
Ele entrou nos céus, para agora se apresentar diante de Deus em nosso favor; 
Não, porém, para se oferecer repetidas vezes, à semelhança do sumo sacerdote que entra no Santo dos Santos todos os anos, com sangue alheio.  
Se assim fosse, Cristo precisaria sofrer muitas vezes, desde o começo do mundo. 
Mas agora Ele apareceu uma vez por todas no fim dos tempos, para aniquilar o pecado mediante o sacrifício de Si mesmo. 
Da mesma forma, como o homem está destinado a morrer uma só vez e depois disso enfrentar o juízo,  
Assim também Cristo foi oferecido em sacrifício uma única vez, para tirar os pecados de muitos;
E aparecerá segunda vez, não para tirar o pecado, mas para trazer salvação aos que o aguardam."
(Hebreus 9:22, 24-28 NVI)
Arrependimento e Confissão
O pagamento feito por Jesus na Cruz derramando Seu sangue foi total e definitivo.
A compra não foi feita em várias parcelas, mas de uma só e em uma única vez.
João pregou o arrependimento para o perdão dos pecados.
Os que desciam ao Jordão não pediam perdão a Deus. Apenas confessavam os seus pecados.
Joáo ouvia a confissão dos pecados de cada um antes de batizá-los.
"A ele vinha gente de Jerusalém, de toda a Judéia e de toda a região ao redor do Jordão.
Confessando os seus pecados, eram batizados por ele no rio Jordão." (Mateus 3:5, 6 NVI)
Jesus foi o único homem que João batizou que não confessou nenhum pecado.
Todos os outros permaneciam no rio por algum ou muito tempo confessando seus pecados.
Jesus chamais precisou de perdão porque não nasceu em pecado e nunca cometeu pecado algum.
"E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre Ele."(Mateus 3:16 ARC)
João não pregou oração, não fez campanhas de prosperidade para reparar o templo em Jerusalém, aliás, nem mesmo uma só menção há que ele tenha em algum dia de sua vida feito qualquer oferta naquele templo.
João não pregou relacionamento com Deus, nem sequer uma só das práticas de culto que seu pai desempenhou tantas vezes no templo toda vez que era escalado para ministrar como sacerdote.
A vida com Deus começa com fé e arrependimento depois de se ouvir a pregação do Evangelho do Reino.
"Arrependei-vos, porque é chegado o Reino de Deus." (Mateus 3:1-2)
Texto de: Josimar Salum

sexta-feira, novembro 09, 2012

Tribunal ou hospital

Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos. Tiago 2:10

  Era comum os judeus se vangloriarem de guardar a lei; e parece os judeus que creram em Jesus mantiveram este mau hábito. Tiago então chama a atenção deles para o fato de que sua atitude discriminatória era condenada pela própria lei que eles julgavam obedecer.

É comum na igreja algumas pessoas terem o hábito de julgar as outras naquilo que elas já são capazes de obedecer do evangelho. Mas nem o mais perfeito dos cristãos está livre de falhas eventuais.
 Por isso, ao invés de julgar, somos convidados a apoiar.

 Quando a Igreja está dominada por essa jactância maldita, ela se torna um tribunal. Quando, porém, a Igreja vive na dimensão do amor divino, a comunidade se torna um ambiente de graça e transformação. Se ajudarmos uns aos outros, aprenderemos a ser mais amorosos! Essa atitude glorificará o nome de Cristo!

quinta-feira, novembro 01, 2012

Um olho limpo percebe imediatamente o bem

A lâmpada do corpo é o olho. Portanto, se teu olho estiver são, todo teu corpo ficará iluminado; mas se teu olho estiver doente, todo teu corpo ficará escuro. Pois se a luz que há em ti são trevas, quão grandes serão as trevas! (Mateus 6,22-23).
 
 
Essa passagem faz uma comparação entre a vida do corpo e a vida da alma. O corpo, falando fisicamente, se tem um bom olho, terá uma boa luz material, uma boa visão. Há, por outro lado, uma luz espiritual, que se irradia da alma. Se o nosso espírito está nas trevas, emana somente escuridão e estaremos, espiritualmente falando, numa cegueira todal.
 
Na nossa vida não existe uma dicotomia entre mundo espiritual e material, entre corpo e alma. Somos formados por todos esses elementos contemporaneamente. Vivemos um conflito constante e um juízo se realiza a cada momente nos nossos corações onde se vê uma luta entre luz e tenebras, bem e mal. Onde está o nosso coração?
 
 Intimamente ligado com Deus ou numa busca egoísta. O que predomina em nós: luz ou tenebras. Os nossos olhos são um sinal inconfundível; nele se reflete a luz de Deus ou a negação dela. Um olho limpo percebe imediatamente o bem, consegue ver até mesmo pequenas suas nuances e colocá-las em evidência. Em contraposição, um olho sujo vê somente o mal e difunde as suas características.
 
Não é somente uma questão de otimismo ou pessimismo. Trata-se de abrir espaço, em nossas vidas, à luminosidade divina, assumindo uma consequente característica de viver a realidade e julgá-la. O olhar de Deus, mesmo conhecendo o mal, busca sempre a semente do bem escondida até mesmo nos corações mais malvados, procurando fazê-la germinar. Se paramos e olhamos somente o negativo, estamos muito longe de Deus, no meio das trevas.
 
Um bom cristão procura rever as suas posições e colabora com a graça para que a luz triunfe em nós e, a partir de nós, se difunda no ambiente onde vivemos.