ESTUDOS BIBLICOS







Web Radio Gospel Da Covilha - ((( Portugal))) Sua Amiga De Todos As Horas



segunda-feira, novembro 25, 2013

Antes Que Você Tome Aquela Decisão

Todo dia enfrentamos centenas de escolhas e decisões. Felizmente, a maioria delas não é determinante.


Devo comer as asas de frango picantes com mel ou ao estilo Cajun? Devo comprar a pasta de dente de ultra-clareamento ou o tipo que restaura as células do cérebro? Devo assistir Doomsday Preppers ou Extreme Paranormal Makeover?

No entanto, conforme o ano começa, muitos de nós enfrentamos decisões difíceis e determinantes. Sou tão grato pela incrível promessa de Deus em Salmo 32.8:

'Eu o instruirei e o ensinarei no caminho que você deve seguir; eu o aconselharei e cuidarei de você.'

Essa é uma das promessas mais encorajadoras da Escritura. Eu regularmente oro “Obrigado, Pai, por ter prometido me instruir e me ensinar o caminho que devo seguir e me aconselhar cuidando de mim. Por favor, guia-me nessa decisão que estou enfrentando. Por favor, mostre-me o que fazer. Por favor, dê-me sabedoria. Obrigado, Pai, por ter prometido que o Senhor o fará”.

Primeiramente, é o próprio Deus quem nos instrui – “Eu o instruirei… o aconselharei e cuidarei de você”. Deus não delega seu conselho a um anjo ou qualquer outro. A própria fonte de sabedoria nos aconselha. Aquele que concebeu as leis da natureza, que sabe como todo o universo funciona, que conhece todas as coisas, incluindo o futuro; Aquele que nos conhece intimamente, que sabe o que é melhor para nós e nos ama tão profundamente que derramou seu Único Filho para nos comprar. É Ele quem nos instrui e nos aconselha.

Deus ensina e nos guia para a Sua própria glória. Ele quer que levemos vidas de efetividade e frutificação máxima. Ele deseja exibir Sua bondade, amabilidade, misericórdia e Seu poder transformador através de nós. Deus quer nos aconselhar mais do que nós queremos Seu conselho.

Ele nos mostra o caminho a seguir porque Ele é um Pai amoroso. Se qualquer um de meus filhos enfrentasse dificuldades e pedisse por meu conselho eu não diria a ele que descobrisse por si mesmo. Eu quero que meus filhos fiquem bem. Quero que meus filhos tenham tudo de bom. Quero que meus filhos conheçam a Deus e desfrutem dEle. Se eu desejo essas coisas para os meus filhos, quanto mais nosso Pai celeste as deseja para nós.

Ele fala conosco pela Sua Palavra e pelo Seu Espírito. A Palavra de Deus é um baú de tesouros de sabedoria e orientação. Ela contém tudo o que precisamos saber sobre Deus e sobre como obedecê-lo. Ela é cheia da Sua vontade de capa a capa. Além disso, Deus nos enche com Seu próprio Espírito, o Conselheiro, que nos guia em toda a verdade e nos mostra o que fazer em toda situação. Deus também fala através da pregação da Sua Palavra e por livros escritos por mestres cristãos. Ele também nos guia por meio de conselheiros cristãos – nossos pais, pastores, amigos sábios e companheiros crentes.
 
O que você está enfrentando hoje? Antes de tomar aquela decisão, vá até seu Pai amoroso e agradeça-o pela Sua maravilhosa promessa de ensiná-lo, guiá-lo e aconselhá-lo. Busque-o nas grandes e nas pequenas decisões. Então confie nEle e não fique aflito. Ele certamente cumprirá Sua promessa de guiá-lo em Seu momento perfeito. Se você tem que tomar uma decisão, buscou o Senhor e ainda não sabe o que fazer, apenas tome a melhor decisão que puder. Ele te guiará. Obviamente você não precisa perguntar a Deus que tipo de asinha comer. Mas eu recomendaria a asa ao estilo Cajun.

| Autor: Mark Altrogge | | Tradutor: Natália Moreira |

sexta-feira, novembro 22, 2013

ATEANDO A CHAMA

Sentámo-nos junto à lareira. O ambiente estava quente e confortável. Não nos apercebemos que, a certa altura, as brasas começaram a esfriar. Um tronco tinha rolado para longe e a chama havia diminuído rapidamente. Empurrei o tronco para junto das brasas, de novo. Aos poucos, a centelha de fogo cresceu, enquanto eu ateava a chama, e envolveu aquele pedaço de madeira.
Dias ocupados e vidas apressadas podem levar-nos para longe da chama que um dia aqueceu os nossos corações. Tal como aquele tronco que rolou, pode acontecer darmos por nós distantes do fogo do amor de Deus pelos cuidados deste mundo... E sentimos a falta Dele.
Ao longo dos anos, tive momentos em que me senti distante de Deus. Ele nunca se retira ... Mas às vezes sou eu que me afasto. Muitas coisas podem contribuir para essa distância. A ocupação é um motivo comum. O desânimo, face às circunstâncias da vida, é outro. Seja qual for a causa, uma vez que reconheçamos essa distância, existe uma solução. Podemos aproximar-nos da chama e deixarmo-nos atear.
Se se sente distante de Deus e anseia um novo calor no seu relacionamento com Ele, faça alguma coisa, aquilo que faria se ansiasse pela companhia de alguém especial... Marque um encontro e passem algum tempo juntos. Separe um tempo para estar com Deus.
Tiago 4:8 dá-nos uma promessa: "Chegai-vos a Deus e Ele se chegará a vós.”
Diga a Deus exactamente como se sente e como perdeu o calor da Sua presença. Fale-Lhe daquilo que precisa de ver mudado e peça-Lhe ajuda. Peça-lhe para encher o seu coração com Sua presença e para preencher a sua mente com as Suas prioridades.
Se anseia pela Sua Presença, marque o encontro hoje. Peça-Lhe que lhe amplie a visão da sua vida para que possa começar a fazer, numa medida maior, aquilo que Ele a criou exclusivamente para fazer. Esse é o caminho para a verdadeira alegria.
Lembre-se, Deus está apenas à distância de uma oração. E Ele também sente a sua falta.

Gail Rodgers
Este artigo tem direitos de autor.
Usado com permissão.
www.christianwomantoday.com
www.gailrodgers.ca

quinta-feira, novembro 14, 2013

Afastado por causa dos irmãos

E, poucos dias depois, o filho mais novo, ajuntando tudo, partiu para uma terra longínqua, e ali desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente.
Lucas 15:13


Existem situações em que as pessoas se afastam da Igreja por problemas de relacionamento com os seus membros. Calotes, fraudes, fofocas, injustiças e tantas outras coisas ruins acabam por afastar alguns irmãos do convívio da comunidade. Mas não deveria ser assim. De fato, há pessoas problemáticas dentro das igrejas, mas também há situações em que já estamos longe de Deus e ficamos a espera de um simples motivo para sairmos.

Aos irmãos que são da fé, um conselho: não seja motivo de tropeço para ninguém. Pare de caluniar, pare de fofocar, seja honesto, seja luz e não trevas, porque prestaremos contas de nossos atos naquele dia, principalmente se formos motivo de escândalo para alguém. A você, querido irmão, que está fora da Igreja alegando que algum cristão te feriu, lembre-se que Jesus Cristo é a maior dádiva de Deus para nós, o único caminho de salvação, nada neste mundo, nem uma ferida, uma calúnia ou coisa do tipo poderia ser desculpa para nos afastarmos dEle. Volte para a casa do Pai, porque somente em Cristo poderemos encontrar salvação.

É tempo de voltar.


Texto de: Pastor Sérgio Fernandes

segunda-feira, novembro 11, 2013

Alegrai-vos Sempre no Senhor


“Outra vez digo: alegrai-vos” (Fp 4.4).

Paulo escreveu essas palavras à igreja em Filipos. Na ocasião, ele era prisioneiro em Roma e poderia ter se atormentado, questionando: “Quando serei libertado? Quando poderei continuar minha viagem? Quando e onde continuarei meu trabalho missionário? Será que a prisão ficará mais rígida? Serei condenado à morte? O que será da igreja de Filipos? E em Roma, como as coisas vão continuar?”. Mas Paulo não se preocupava com nada disso. O que marca essa carta da prisão não é a preocupação ou a dúvida, mas a alegria e o encorajamento que transparecem do começo ao fim. Paulo sabia que tinha todas as razões do mundo para se alegrar, apesar de sua situação pessoal penosa, apesar das perseguições e da enfermidade.
Nós cristãos realmente temos todos os motivos para nos alegrar. Se não nós, que somos libertos, então quem se alegraria? Podemos nos alegrar sempre, alegrar-nos no Senhor.

 Ele está conosco todos os dias (Mt 28.20). Isso é mais do que consolo, é a razão da nossa alegria! A alegria no Senhor é eterna e independente das circunstâncias exteriores. Obviamente os filhos de Deus também estão sujeitos a mudanças de humor. Nós também somos afligidos por problemas e enfermidades.Seria hipocrisia andar pelas ruas ostentando sempre um sorriso no rosto. Tudo tem seu tempo, tanto a alegria como a tristeza. Mas a alegria deve ser o fundamento, a base firme dentro de nós, apesar de todas as circunstâncias.

Paulo foi perseguido, açoitado e aprisionado, e certamente não sentia vontade de ficar sorrindo à toa. Mas ele emanava uma alegria que vinha do coração. Podia encorajar a outros mesmo estando em aflição. O que lhe concedia essa força interior? A fonte da força em si: o Senhor e Sua Palavra! “A alegria no Senhor é a vossa força” (Ne 8.10). “A esperança dos justos é alegria” (Pv 10.28).

Em qualquer circunstância da vida é essencial que nos lembremos quem somos e quem éramos. Éramos perdidos e espiritualmente mortos. E agora? Deus tornou-se Homem para perdoar nossa culpa. Ele rasgou o escrito de dívida que era contra nós e nos libertou da pena da morte. Agora estamos salvos, ressurretos dentre os mortos com Cristo para a vida eterna, e um dia teremos um lugar seguro na glória com Jesus – seremos revestidos com um corpo de glória. Tudo isso não é motivo de alegria? Essa expectativa não pesa muito mais do que todas as preocupações do mundo? Justamente um filho de Deus renascido deve atentar para a direção em que volta seu olhar. Se eu olhar para trás, talvez minha alegria nem seja muito grande. Se tenho apenas o aqui e agora diante dos olhos, talvez fique apavorado. Mas se voltar meu olhar para o Senhor e antevir o encontro com Ele, meu coração saltará de alegria.

“Vi novo céu e nova terra... Eis o tabernáculo de Deus com os homens... Ele lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor...” (Ap 21.1- 4).

 Passagens bíblicas como essa – e existem muitas semelhantes – só podem nos tornar alegres! Como o Senhor Jesus já disse a Seus discípulos: “alegrai-vos, não porque os espíritos se vos submetem, e sim porque o vosso nome está arrolado nos céus” (Lc 10.20). 

Apesar de toda a maldade que nos cerca e mesmo diante dos eventos que parecem colocar o curso da História de ponta-cabeça e deixam o mundo assustado, nós cristãos temos todos os motivos para nos alegrar, pois temos à frente a eternidade e o encontro com nosso Senhor ressuscitado.

 (Thomas Lieth)

As Vezes Que Gritei Por Socorro

 Pode até parecer presunção minha, mas todas as vezes que gritei por socorro, Deus me atendeu. E tenho uma fórmula muito simples para isso. Não, não vou lhe ensinar um novo tipo de oração que vai "abrir as portas" da sua vida, não vou lhe revelar um método inédito de buscar ao Senhor, nem inventar um novo programa de dez passos para ser atendido pelo Todo Poderoso. Só vou lhe contar como isso ocorre em minha vida.

       Confesso ser um tanto cabeça dura, e toda vez que algum problema surge, tento resolvê-lo pelas minhas próprias forças. Afinal, por que "incomodar" a Deus com meus problemas? Admito que nunca fui capaz de resolver nada de modo satisfatório em minha vida, sempre que apresentei algum problema ao Senhor foi por que já tinha me complicado ainda mais ao tentar resolvê-los por minhas próprias forças.


       Mas Deus sempre atendeu meu pedido de socorro. E sabe por que? Por que toda vez que lhe entreguei meus problemas eu sabia que era totalmente incapaz de resolvê-los, sempre que cheguei de joelhos ao Senhor em minhas orações pedindo que ele resolvesse algo de difícil resolução em minha vida, fiz isso permitindo que Deus decidisse de que modo tal problema deveria ser resolvido.


      Muitas vezes que estamos confusos e "atolados" em situações complicadas e desesperadoras, por mais que busquemos a vontade de Deus, tentamos guiá-lo na resolução de tais situações:  "Meu Deus, entrego esse problema em suas mãos, faça que tal pessoa pare de fazer tal coisa e que aquela outra pessoa compreenda e não discuta mais aquilo que eu fiz, também me abençoe para que eu possa pagar aquela dívida e faça que a resposta para aquele projeto que tanto aguardo seja positiva, amém"


Será que estamos realmente confiando na resolução de Deus ou o estamos direcionando para que os resolva pelo Seu poder, mas ao nosso modo? Só Deus sabe como tudo irá terminar, temos que nos humilhar e confiar nos seus propósitos, e deixar que Deus aja a seu modo, por mais doloroso que esse "modo de Deus" possa parecer.

       Quando enfrentamos um problema temos que entregá-lo nas mãos do Senhor e ir embora sem olhar para trás, pois se olharmos, nos sentimos tentados a "colocar o dedo" no trabalho de Deus, Deixe que Deus cuide de sua vida e de seus problemas.

       Está disposto a colocar aquele problema nas mãos do Senhor? Então o faça, mas não olhe para trás. Aquele problema parece impossível de ser resolvido? Fazer a terra se sustentar no universo também não deve ter sido fácil, mas o Senhor o fez, e pra quem criou o céu e a terra, abriu o mar, lançou fogo do céu e ressuscitou os mortos, seu problema, na pior das hipóteses, é apenas mais um problema.
 
       " Se você não aceita o que Deus faz, como espera que Ele faça o que você quer?"
 
       Jó 34:33

Autor:  Rogério Strazzeri 

quinta-feira, novembro 07, 2013

A Dor da Solidão

Muitos animais vivem sozinhos sem que isso signifique um problema para eles. Unem-se ao parceiro somente para o acasalamento. Os tigres, por exemplo, não vivem em grupos. São bastante independentes. O ser humano, porém, tem uma natureza gregária. O homem precisa da companhia do seu semelhante. Logo no princípio, Deus disse: "Não é bom que o homem esteja só" (Gn.2.18). Adão vivia no paraíso, com toda abundância e beleza. Estava cercado por um cenário maravilhoso, que incluía todo tipo de vegetação e animais. Porém, a plenitude da sua felicidade dependia ainda da presença de alguém que lhe fosse semelhante e pudesse atendê-lo em suas carências físicas e emocionais. 

A natureza humana continua assim. Temos necessidade de companhia. Precisamos ajudar e ser ajudados. Precisamos dar e receber, compartilhar. A parceria e o grupo nos ajudam na conquista de objetivos que, sozinhos, não alcançaríamos. Além disso, precisamos nos sentir participantes, pertencentes, aceitos, compreendidos, importantes, enfim, amados. 

Entretanto, contra esta necessidade natural operam fatores diversos. O egoísmo muitas vezes nos empurra para o isolamento. Vivemos em um sistema social e econômico onde cada pessoa é incentivada a construir seu próprio mundo, ter suas próprias coisas, fazer apenas sua própria vontade, buscar somente seu prazer pessoal, ser totalmente independente.

A competição também contribui para que cada pessoa se isole e veja os outros como adversários. As concorrências são naturais em algumas situações. Porém, não podemos perder o controle. Por exemplo, quando as disputas acontecem dentro da família, isto pode se tornar motivo de isolamento.

Em nossos dias, as separações familiares são cada vez mais comuns. Assim, o número de pessoas que vivem sozinhas é cada vez maior. Quantos estão sozinhos, apesar de viverem em grandes cidades, entre milhões de habitantes! Muitas vezes, tentam amenizar o problema assumindo muitos compromissos, muito trabalho. Às vezes, os solitários procuram festas ou grandes multidões, mas isto se torna apenas um tipo de "solidão acompanhada". As aventuras sexuais e os vícios também são procurados como refúgio, mas o problema essencial continua: falta o amor e o compromisso acolhedor que ele proporciona. Em muitos casos, o solitário torna-se deprimido e pode chegar ao suicídio.

Isolar-se por alguns momentos para refletir pode ser benéfico (Lm.3.27-28), mas escolher o isolamento como modo de vida demonstra falta de sabedoria (Pv.18.1).

Quantas pessoas vivem em riqueza e conforto, mas sentem-se esmagadas pelo peso da solidão. Seu paraíso não tem graça nem valor. O pior de tudo isso é a solidão espiritual. É quando o solitário se sente distante de Deus.

A Bíblia nos mostra diversas situações de solidão (Ec.4.8-11; Lm.3.28; Os.8.9; Salmos 102.7). Algumas vezes como conseqüência do pecado, próprio ou alheio (Is.5.8; Lv.13.46; Jr.50.12; Lv.16.22). Em outros casos, como resultado do abandono, da rejeição (Is.27.10) ou da viuvez (Lm.1.1). Menciona-se também a solidão do profeta, em meio aos que rejeitam sua mensagem (I Rs.19.14; Jr.17.15; Dn.10.7-8), a solidão do poder (Êx.18.14) e a solidão do réu (II Tm.4.16). Ela ocorre pelos mais variados motivos, até mesmo alheios à nossa vontade. A doença e a velhice, algumas vezes, vêm acompanhadas pela solidão. Hospitais, asilos e presídios são seus ambientes mais comuns. O seu gosto amargo pode ser ainda pior quando se mistura à culpa, à saudade e ao ressentimento.

A maior parte das referências bíblicas a respeito da solidão encontram-se no Velho Testamento. No Novo Testamento, a pior experiência desse tipo foi vivida pelo Senhor Jesus. Ele, que sempre contava com a presença do Pai (Jo.8.29; 16.32), experimentou, na cruz, o abandono. Naquele momento de dor, o Mestre clamou: "Eloí, Eloí, lama sabactani?", que significa "Deus meu, Deus meu, porque me desamparaste?" (Mc.15.34). Como nosso autêntico representante, ele levou sobre si, além dos nossos pecados e dores, também nossa solidão. Ele sentiu a dor do órfão, da viúva, do asilado, do condenado, do exilado, dos excluídos e esquecidos. Sentiu, acima de tudo, o peso de ser abandonado pelo próprio Deus.

Jesus viveu tudo isso para que não sejamos mais solitários. Deus enviou seu filho ao mundo para que não ficássemos sozinhos. "O Verbo se fez carne e habitou entre nós" (Jo.1.14). O seu nome é Emanuel, que significa "Deus conosco" (Mt.1.23).

Pouco antes de subir aos céus, ele afirmou: "Eis que estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos". (Mt.28.20). Aqueles que recebem o Senhor Jesus em seus corações sabem que ele não os abandonará jamais. "Se o meu pai e minha mãe me desampararem, o Senhor me acolherá" (Salmos 27.10). "Não vos deixarei órfãos, voltarei para vós" (Jo.14.18). "Não te deixarei nem te desampararei" (Js.1.5; Dt.31.6).

Quando cremos em Jesus, temos com quem contar em todos os momentos da vida. Não somos solitários, pois o Senhor está conosco. Mas ele deseja que tenhamos também outras pessoas como amigos e companheiros. Por isso, ele criou a igreja, que é a família de Deus na terra (Ef.2.19). Na igreja, o solitário encontra acolhimento (Salmos 68.6).

Deus é o auxílio dos órfãos e das viúvas (Salmos 10.14; 68.5; 113.9). O Senhor acolhe aqueles que o buscam, faz com que sua solidão termine e sua vida se transforme de modo glorioso (Ez.36.35; Dt.32.10).

"Olhai para Abraão, vosso pai, e para Sara, que vos deu à luz. Sendo ele só, eu o chamei, e o abençoei e o multipliquei. O Senhor certamente consolará a Sião, e consolará a todos os seus lugares assolados; ele fará o seu deserto como o Éden, e os seus ermos como o jardim do Senhor. Gozo e alegria se acharão nela, ações de graças e som de cânticos." (Is.51.2-3).

Autor: Prof. Anísio Renato de Andrade 

segunda-feira, novembro 04, 2013

O Chamado Para Despertar


Há uma guerra invisível ao nosso redor, e hoje é necessário que haja um moderno Paul Revere* que nos diga para despertarmos!

O inimigo vem vindo e precisamos fazer soar o alarme. O triste de tudo isso é que muitos filhos de Deus estão em sono profundo quando deveriam estar acordados. A Igreja está adormecida, no aconchego de seus bancos, com as cobertas sobre sua cabeça; e o santuário está no escuro. O despertador de Deus está soando e precisamos nos levantar. Este não é o momento de apertarmos a tecla “Snooze” (cochilo)!

Assim como aconteceu em 1775 nos Estados Unidos, quando os sinais da luz de duas lanternas deram o aviso de que a destruição estava às portas, hoje a luz da Palavra de Deus está difundindo um outro aviso sobre um perigo muito mais profundo. Já recebemos um chamado para despertar por meio da Palavra de Deus – alguém está ouvindo?

“E digo isto a vós outros que conheceis o tempo: já é hora de vos despertardes do sono; porque a nossa salvação está, agora, mais perto do que quando no princípio cremos. Vai alta a noite, e vem chegando o dia. Deixemos, pois, as obras das trevas e revistamo-nos das armas da luz” (Rm 13.11-12).

De acordo com o relógio de Deus, é hora de acordar. O apóstolo Paulo chamou os santos em Roma para despertarem. Quanto mais nós não necessitaríamos de seu chamado nos dias de hoje! Há anarquia no mundo todo, apostasia na Igreja, e apatia nos bancos das igrejas.

Provavelmente é muito mais tarde do que muitos de nós imaginamos. Este mundo está com a moral em queda livre como nunca esteve antes na história. O alarme já soou, e precisamos prestar atenção ao chamado. Mas, o que as pessoas estão fazendo? Estão se virando para lá e para cá e bocejando diante da face de Deus. Paulo diz: “já é hora de vos despertardes” e “vai alta a noite”.

Nesta era, já é mais tarde do que você pensa. Eu creio que Jesus está às portas. Creio que a trombeta já vai tocar. Cristo voltará em breve e é apenas a mão controladora do Deus Todo-Poderoso e o Espírito Santo que mantêm as portas do mal fechadas da forma como estão.

Oro para que o Espírito Santo escreva em nossos corações três coisas que o apóstolo Paulo disse à igreja de Roma e que fazem todo o sentido para a Igreja de hoje.

Desperte!

Já é muito mais tarde no tempo da oportunidade (veja 2 Co 6.2) do que você imagina. Temos agora oportunidades sem precedentes para pregar o Evangelho de Jesus Cristo. Quando esteve aqui na Terra, Jesus disse: “É necessário que façamos as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar” (Jo 9.4).

Você sabe o que há de errado na igreja de hoje? Muitíssimos sermões são mais como historinhas de ninar do que como toques de alvorada. O despertador de Deus está soando por todos os lados ao nosso redor. Jesus virá como um ladrão de noite. O apóstolo Paulo disse: “Pois vós mesmos estais inteirados com precisão de que o Dia do Senhor vem como ladrão de noite. Mas vós, irmãos, não estais em trevas, para que esse Dia como ladrão vos apanhe de surpresa” (1 Ts 5.2,4).

Como podemos nos sentar confortavelmente nos bancos da igreja quando a civilização está se desintegrando ao nosso redor? A noite já vai alta. Tantas de nossas igrejas estão como Sansão, adormecido nos braços de Dalila. Então, quando finalmente acordarmos, não saberemos que o Espírito já se ausentou de nós.

Pode ser mais tarde em sua vida do que você imagina. Você tem apenas alguns dias a mais, algumas horas de sobra, para servir ao Senhor Jesus: “Que é a vossa vida? Sois, apenas, como neblina que aparece por instante e logo se dissipa” (Tg 4.14).

Há muitas coisas que você pode fazer, mas o tempo é curto; e todas as suas ações para ganhar almas só poderão ser realizadas enquanto você estiver aqui na Terra. E já pode ser mais tarde nesse tempo da oportunidade do que você imagina.

Lave-se!

Esta não é apenas a hora de despertarmos, mas é a hora de nos lavarmos. Romanos 13 diz para nos despirmos das orgias e bebedeiras, impudicícias e dissoluções, contendas, ciúmes e inveja. Contenda significa o desejo pelo poder. Inveja é querer mais e querer aquilo que o outro tem. Se seu coração é um quartel-general para o ódio, se você está cheio de ciúmes e de desejos insatisfeitos, essas são obras das trevas. Deus fala para você se despir dessas coisas.

Fico abismado de que hoje não haja nenhum senso de vergonha. Temos toda uma geração de “pessoas que não se ruborizam”, pessoas que cometem imoralidades e não se envergonham. Alguém disse que o homem é o único animal que fica ruborizado – ou que deveria ficar ruborizado. “Serão envergonhados, porque cometem abominação sem sentir por isso vergonha; nem sabem que coisa é envergonhar-se” (Jr 6.15). Como precisamos nos achegar ao Senhor em honestidade e confissão!

Vista-se!

Não é apenas hora de despertarmos, mas também é hora de nos vestirmos. Este é o âmago, o clímax da questão: “Deixemos, pois, as obras das trevas e (...) revesti-vos do Senhor Jesus Cristo” (Rm 13.12,14).

O que devemos fazer após termos acordado e nos lavado? Revestir-nos de Jesus. Vista-se com o Senhor Jesus Cristo. Revista-se dEle para buscar direcionamento porque Ele é o Senhor. Você precisa ter alguém que possa revesti-lo em trajes de justiça, que possa protegê-lo, purificá-lo, e mantê-lo puro. Revista-se dEle para obter libertação porque Ele é o Salvador. Revista-se dEle para obter domínio porque Ele é o Rei Messias, o Senhor dos senhores. Eu devo revestir-me de Jesus como minha armadura de luz.

Onde você acha que nós estamos como cultura, como igreja, e como cristãos individualmente? Paulo fez soar o alarme no primeiro século, e nós também precisamos fazer soar o alarme hoje. Já se faz tarde, a noite já vai alta. Logo Ele virá com o som da trombeta. É melhor fazermos agora aquilo que pretendemos fazer por Jesus.

A vida é curta demais. A eternidade é longa demais. As almas são preciosas demais. O Evangelho é maravilhoso demais para estarmos dormindo o tempo todo. Você já ouviu o alarme. Agora você pode virar-se para o lado e apertar a tecla do “cochilo”, ou levantar-se, lavar-se e se vestir!

|  Autor: Adrian Rogers